piada do dia

Embrulho trocado

Ai vai a descrição de uma situação triste.

Um estudante ia passando em frente a uma loja, e acabou por comprar um par de luvas para sua namorada. Pediu a balconista para embrulhar e foi pagar, deixando o embrulho junto com outro igual, só que neste ultimo, havia um par de calcinhas. Acabou que o embrulho foi trocado e o estudante o enviou junto com uma carta que dizia assim:

“Meu amor: Sei que hoje não e seu aniversario, mas passei em frente a uma loja e resolvi comprar-lhe este presente, mesmo sabendo que você não costuma usar, mas eram muito bonitas. Não sei se e do seu tamanho nem se você gosta da cor, mas a balconista experimentou na minha frente e eu gostei muito. Ficaram um pouco larguinhas na frente e dos lados mas assim as amos entram com maior facilidade alem de deixar os dedos mais livres para se movimentarem, fazendo também com que fique mais fácil de tira-las. A balconista mandou lembrar que ponha um talquinho quando tira-las a fim de evitar o mau cheiro. Meu amor, gostaria muito que as usasse, pois elas cobrirão o que lhe pedirei algum dia. Um grande beijo aonde vai usa-las.”

 

O Caseiro Atrapalhado

O sujeito estava no maior ronco, quando toca o telefone, em plena madrugada:
– Aqui é o Aristides, o caseiro da sua fazenda!
– O que houve Aristides, aconteceu alguma coisa grave?
– Nada não, doutor! Eu só queria avisar que o seu papagaio morreu!
– Meu papagaio? Aquele que ganhou o concurso no mês passado?
– Sim, este mesmo!
– Puxa, que pena! Eu havia pago uma pequena fortuna por ele… mas ele morreu de quê?
– Comeu carne estragada!
– Carne estragada? Quem deu carne estragada para ele?
– Ninguém… ele comeu de um dos cavalos que estavam mortos.
– Que cavalos?
– Dos seus cavalos puro-sangue! Eles morreram de cansaço, puxando a carroça dágua.
– Puxando a carroça dágua? Que água?
– Para apagar o fogo!
– Fogo? Onde?
– Na sua casa… uma vela caiu na cortina e ela pegou fogo.
– Vela? Mas quem foi acender vela lá em casa, se tinha eletricidade?
– Foi uma das velas do velório!
– Velório?!
– É… o velório da sua mãe… ela chegou lá de madrugada sem avisar e eu atirei nela, pensando que era um ladrão!